[Desabafos de uma apaixonada por livros] Porcaria de traduções e porcaria do novo acordo ortográfico!


Não há outro título a dar a este post, é mesmo isso! Desculpem lá caros tradutores a quem a carapuça servir, não sei o que vos ensinam na escola agora, no curso de tradutores, o que vos obrigam a fazer, MAIS ainda, agora com o novo acordo ortográfico - na minha opinião palhaçada total - com tantas crianças que não podem ir à escola, pais que não têm dinheiro para meter os filhos na escola, comprar material, livros, roupa e perdem tempo com um novo acordo ortográfico em vez de fazer umas alterações no nossos sistema de ensino que tão bem precisa?

Mas neste post vou falar no que respeita a livros e não a politica. É a minha opinião pessoal sobre este assunto e quem não gosta ou concorda sabe onde é a saída. Quem quiser dar a sua opinião de forma civilizada é bem-vindo a este debate.

Sabem, estou neste momento a ler um livro "Um Casamento no Natal", da Editorial Presença. Este livro, tal como 95% de todos os meus livros COMPREI-O com o meu dinheiro! Ninguém mo ofereceu! Dinheiro ganho honestamente! E eu estava TÃO ansiosa com este livro... Mas sinto-me ROUBADA! E não só com este livro, mas com alguns livros que ando a ler ultimamente, principalmente "novidades".
Desde que criei este blog que ando muito mais atenta à leitura, muito mais atenta às opiniões que vou dar sobre determinado livro e mais atenta às frases marcantes que eu leio e escrevo num caderno próprio para isso, para depois partilhar convosco.

Já parei de ler este livro um sem número de vezes porque me sinto revoltada, roubada e enganada!

Posso dar-vos mais dois exemplos bastante recentes de más experiências que eu tive com más traduções: "Quando Aqui Estavas", Daisy Whitney - Editora ASA - Péssima tradução de Inês Castro (nome que aprendi a odiar) comprado com o meu dinheiro e "Predestinados", Josephine Angelini da Planeta Manuscrito da já referida odiosa tradução de Inês Castro, também comprado com o meu dinheiro!
Digo odiosa não por ter algo contra a mulher, não faço a mínima ideia de quem é ou se existe sequer, odiosa foi a sua tradução que me tirou o prazer da leitura em livros pelos quais paguei, e paguei bem!
Mas afinal eu ando a pagar para quê? Para ler traduções sem sentido, para ler em brasileiro? Para faltarem letras (isso já é culpa da revisão) ou a tradução ser tão confusa que uma pessoa até perde o interesse numa história que podia ser inesquecível, como já me aconteceu?!

Como já repararam isto parece uma praga a espalhar-se pelas editoras! Dei unicamente três exemplos e são todas de editoras diferentes! Das duas uma: Ou são maus tradutores e estão a roubar o trabalho a bons tradutores e o nosso dinheiro, ou estes novos acordos e regras que nos querem impingir na forma como escrevemos e até como lemos, completamente diferente à que eu andei a aprender na escola, escrevi e li toda a minha vida anda a estragar-me o prazer da leitura!
Deixem-me que vos diga... Não há assim TANTOS leitores e pessoas interessadas em livros quanto isso em Portugal - comparando com outros países - para ainda os andarem a estragar!

Estão a ASSASSINAR a nossa língua do Camões e a fazerem as pessoas PERDEREM o interesse pela leitura!!

Já li e ouvi muitas queixas ao longo do tempo, principalmente nos últimos meses tem sido algo constante de pessoas a dizer:"Não compro mais nada desta editora", "Não leio mais nada que seja traduzido por esta pessoa", "O dinheiro que dei por este livro foi dinheiro mal gasto", etc, etc... Mas NINGUÉM FAZ NADA!!

Deixem-me dar-vos alguns exemplos, os primeiros que me vieram à cabeça de tipos de expressões que ultimamente andam a ser usadas nas traduções:
"- Verdade. Sammy gostou."
"- Espero que valha esta droga toda!"
- "Pois, é uma droga, principalmente porque..."
- "A garota milagre...."
E o mais irónico é que no livro em que li essa expressão abrasileirada "droga" era num livro em que por acaso uma das personagem secundárias gosta de fumar umas "brocas", então a insinuação do "droga" usada por outras personagens tornar-se confusa, quando podiam ter perfeitamente traduzido "esta porcaria", pois não se estão a referir a drogas, literalmente!

E o "Verdade" tão fora no contexto! Que tal "É verdade!" ou "A sério!"? Como acontece com os outros livros TODOS! Não serve?
E também: "uma garota?" É raro usar-mos essa expressão, usamos mais "garoto" e é no café! Usamos mais miúda, rapariga, cachopa, etc, etc, etc!
Eu não leio estas frases assim nos jornais, nem ouço nos telejornais, nem nas revistas nem nos outros livros! Nem ouço ninguém a falar assim... Então porque é que só com este tipo de tradutores é que acontece? E sempre com os mesmos?!
Porque é que nuns livros é: "O Sammy gostou, o Sammy disse, ela fez, ela disse" e noutros é "Sammy isto, Sammy viu, Sammy fez, Patti disse isto, Patti disse a ela que"...

Para ler livros em brasileiro mando vir do Brasil! E ainda me saem mais baratos! Para ler livros noutras línguas compro noutros no original e sai-me MAIS BARATO! Se estou a pagar um livro, a pagar pela edição, pela tradução, pela revisão, façam o trabalho para que vos pagamos!!

Não sei se agora são obrigados a traduzir assim, se é puramente mau trabalho ou uma mistura dos dois, sinceramente não sei, a única coisa que sei é que assim não dá.

Sabem que mais?
Até já perdi a vontade de ler por hoje... Estou FARTA de apanhar desgostos destes, de abrir um livro e nunca saber o que a pessoa quem o traduziu fez com a história.
Agora das primeiras coisas que faço quando pego num livro para comprar ou requisitar é ver quem o traduziu! E recuso-me a ler livros dos tradutores com os quais já tive más experiências.
E sabem quem sai a perder? A editora que fica mal vista, o escritor que não tem culpa nenhuma e quem assim perde a vontade de ler...

29 comentários:

  1. Olá minha linda!
    Acho que tenho tido alguma sorte, porque não me tem calhado traduções muito mal feitas. Quer dizer, que tenha dado conta!
    No entanto, já dei comigo muitas vezes a encontrar erros que poderiam ter sido evitados numa revisão bem feita, por isso compreendo o que dizes. Sou professora de 1.ºciclo, por isso estou "habituada" a corrigir erros e a ensinar a minimizá-los. E, mesmo que inconscientemente, acabo por dar por todos eles quando estou a ler.
    Por isso... compreendo e apoio a tua "luta"!
    Todos merecemos bons profissionais no mundo editorial.
    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É exactamente isso Marisa, porque temos excelentes profissionais que não estão a ser aproveitados...
      Tal como em todo o lado... Mas neste caso é algo que estamos a pagar para ter e não é justo.
      É como ir a um restaurante, ser mal servido, comer comida estragada e ainda ter de pagar!

      Eliminar
  2. Olá,

    Eu sei que muitos livros tem vários erros. Em quase todos há pequenas ou grandes falhas. Acho que grande parte dos tradutores podiam fazer melhor trabalho, estarem mais atentos e fazerem uma revisão mais minuciosa.

    Quanto ao novo acordo ortográfico, eu própria tento utilizar no meu blog. Por vezes fico a olhar para as palavras e a pensar que não faz sentido e não parece correto.

    Temos que evoluir mesmo que nos custe no principio.

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não suporto é a ideia de me estarem a obrigada a escrever de maneira diferente da qual escrevemos à tantas gerações... É que foi uma porcaria que inventaram que não trouxe nada a ninguém! Não tem vantagem absolutamente nenhuma! Remover a porcaria de uns "p´s" e "c´s" uns travessões e coisas que só serviram para complicar e nos meter a falar brasileiro!

      Eliminar
    2. Mas precisamos de ver se estamos a evoluir ou a regredir. Nem tudo o que é novo é evolução e o AO é uma regressão catastrófica.

      Eliminar
    3. Faço minhas as palavras do Luís...

      Eliminar
    4. Podes escolher escrever no acordo que quiseres ninguém te vai obrigar a nada.

      Eliminar
    5. Por acaso já me disseram que em 2000 e não sei quantos vai passar a ser obrigatório ou algo do género, se é que já não passou a ser, mas não sei se isso vai correr lá muito bem... :/
      Quando eu trabalhava como secretária obrigavam-me, literalmente a escrever com o novo acordo e os papeis não saiam para ser assinados se não estivessem com o AO, e isso revoltava-me bastante pois só comecei a dar erros no trabalho impecável que fazia sempre, só comecei a ser chamada a atenção desde que meteram o AO em prática!

      Eliminar
  3. Curioso! Comecei a ler este post porque me interessou a parte que escreveste no grupo GLA do Facebook e vim cá ver. E não é que revi tal o que disseste acerca do Sammy no livro que estou agora a ler, Amanhecer ao Luar da Jude Deveraux (da Quinta Essência)? As frases começam logo por "Jecca isto" e "Jecca aquilo". Sem artigos nenhuns antes. E face ao que disseste fui ver o nome do/a tradutor(a) - e não é que é a tal Inês Castro?!?!? Fiquei parva... é que estamos em Portugal, não no Brasil! Donde é que esta tradutora surgiu? Onde é que ela aprendeu português?
    Já agora obrigada pelo post, fiquei bem interessada para ir bisbolhotar o resto do blog :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fogo, ainda bem que me confirmam que não era impressão minha! É que já estava a ficar desesperada a pensar que era só comigo! Ainda por cima esse da Jude Deveraux era um dos que eu queria ler!
      Por isso não me venham dizer que é por os tradutores não terem tempo, isto e aquilo, quando ela faz o mesmo em TODOS os livros que traduz! Acho que devia de ser crime!

      (Fora este dia e assunto que me tirou do sério, sê muito bem-vinda Neptuno e espero ver-me muitas vezes por aqui!) ;)

      Eliminar
    2. E voltando ao livro que estou a ler, então não é que apanho uma gralha daquelas que não ficam nada bem a quem sabe escrever, quanto mais a um tradutor? "Pôs manteiga numa frigideira quente, mas deixou-a queimar porque se destraíra" Que é isto? Até fiquei parva!

      Eliminar
    3. LOOL xD Tem piada de uma forma triste...
      Vou começar também a estar atenta aos nomes na "revisão" de um livro

      Eliminar
  4. Realmente ultimamente tenho vindo a detectar cada vez mais erros ortográficos e gralhas nos livros mais recentes. Dá a impressão que foram trabalhos feitos à pressa!

    E quanto ao (des)acordo ortográfico, nem comento...! -.- Por mim, chamem-me velha do restelo, mas se pudesse escolher faria um novo acordo mas era para voltar a escrever como os nossos antepassados! Voltava ao tempo do "Ph" em vez do "F", das duplas consoantes, etc... Acho que aos poucos estamos a perder a essência da nossa língua (escrita) que já foi muito mais bela e lógica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora é que falaste bem A.!
      Falaste e disseste!! <3

      Eliminar
  5. Olá!

    Sim, muitas vezes deixo de ler os livros por causa da tradução. Já tive leituras que não gostei precisamente por isso. E até pensei em reler esses livros, pois acho que se os lesse com uma boa tradução até teria outro pensamento relativamente à história.
    É pena que isso aconteça, pois pode destruir completamente a história de um livro. Para além de ser uma falta de respeito para com os autores.

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só espero que um dia as pessoas se juntem, especialmente os autores de livros, de blgs literários e mais gente "importante" ligada à literatura e façamos algo a respeito disto...

      Eliminar
  6. Em ambos os casos (adopção do AO e más traduções), a culpa recai esmagadoramente sobre as editoras. Quando o valor a pagar é muito baixo, é natural que os bons tradutores não aceitem as traduções e que os maus as agarrem como se não houvesse amanhã. A qualidade, nesse caso, pouco interessa aos editores. Interessa vender. Se há editoras que obrigam os próprios autores a utilizar o AO, como poderão os tradutores barafustar? Pois. O que não quer dizer que não haja maus tradutores bem pagos que adorem o AO, mas serão com certeza excepções...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo totalmente e acredito mesmo mais no factor: "...e os maus as agarrem como se não houvesse amanhã. A qualidade, nesse caso, pouco interessa aos editores. Interessa vender."
      A probabilidade esmagadora é essa.

      Pessoalmente até consigo "engolir" o novo acordo na minha leitura, não gosto, não uso mas entendo que os obrigam a seguir essa palhaçada, mas agora darem erros gramaticais, faltar texto e começarem com "estrangeirismos" e/ou uma tradução que parece que foi feito por alguém que não sabe bem a diferença entre o Português de Portugal e o Português do Brasil para mim é imperdoável.

      Eliminar
  7. Olá!
    Eu por acaso também tenho apanhado algumas traduções que enfim... mas a que mais "dor" me causou foi no Insurgente, onde se vê claramente que a revisão após a tradução falhou redondamente pois era impossível não dar por isto:
    "No sinal que ostenta já não está escrito «Merchandise Mart» mas «Merchandise Mart». A maioria das pessoas refere-se agora ao antigo centro comercial como «Merciless Mart» porque os Cândidos são implacáveis, mas honestos, e parecem ter adotado a designação de Centro da Sinceridade."

    Ora na 1ª frase "já não está escrito «Merchandise Mart» mas «Merchandise Mart»", então isto é o mesmo que "já não é azul agora é azul" e pergunto eu isto faz algum sentido para quem escreveu???... lá consegui que me dissessem o que consta na versão original para conseguir entender o parágrafo e então no original diz:
    "The sign says MERC IS MART - it used to read "Merchandise Mart" but most people refer to it as the Merciless Mart, because the Candor are merciless but honest."

    É que tem tudo a ver... mas pior ainda fiquei quando fui ver o tradutor e me deparo com Pedro Garcia Rosado, um autor com vários livros publicados... E pelo que já li de alguns comentários pelo Facebook, o Triptico (Karin Slaughter) também foi traduzido por ele e também está cheio de gralhas... :(

    Sem dúvida que há nomes que vou registando e começo a temer gastar o dinheiro que me custa tanto a ganhar em certas livros devido aos tradutores...

    Beijos e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era mesmo disso que eu estava a falar Cláudia, obrigada por ter dado mais um exemplo! O pior mesmo é quando a tradução está feita de tal maneira que não compreendemos mesmo o que raio é suposto estar a acontecer, não perceber de forma alguma o que se está a ler, porque não faz sentido! O meu companheiro à uns dias queixou-se do mesmo, virou-se para mim e disse que não sabia o que raio estava a acontecer na história, que estava tudo baralhado e não conseguia perceber nada e que lhe parecia que até faltavam partes! A mim também já me aconteceu isso e foi horrível! Desisti do livro.

      E a verdade é: Andamos a pagar por isto! E não é só isso! Os livros são algo que ficam para a prosperidade! Aqueles erros todos vão ficar para sempre ali à vista para toda a gente ver e ver a qualidade das traduções que alguns fazem!

      Pagam mal, pagam, mas é melhor que ser escravo e trabalhar sem receber! E se é para traduzir e estar a aceitar dinheiro, já que está a perder tempo a fazê-lo, porque não fazer bem?! Porque não ganhar boa reputação para ser chamado para traduções mais bem pagas? Porquê não exibir o orgulho na língua portuguesa, no seu trabalho e desta forma difamatória estarem a levar cada vez mais pessoas a lerem o livro no original, tirando assim o trabalho às editoras e quem trabalham nelas?
      Não faz sentido!!

      Eliminar
    2. Sim porque acima de tudo o nome do tradutor fica para sempre associado à má tradução, ainda para mais no caso que eu referi trata-se de um autor conhecido, com diversos livros publicados. Certamente que pessoas que como eu leram o Insurgente e deram pela gralha (acho impossível não dar visto que nos perdemos na leitura) certamente pensarão duas vezes antes de comprar um livro do autor, e confesso que antes disto até tinha alguma curiosidade na sua obra. Enfim, poupei uns euros para gastar em livros que valham a pena :P

      Eliminar
    3. Por isso gosto tanto da biblioteca, lá dá para "apanharmos" um pouco de tudo, ficar a conhecer os bons e os maus e não gastamos um cêntimo! ;)
      Eu estes livros ma traduzidos até me sinto mal em doar!!!

      Eliminar
  8. Olá, vi agora este post e só posso dizer que não sou de todo fã do acordo ortográfico. Às vezes tento uma palavra ou outra mas fico sempre a olhar para ela e sinto que não está bem assim. Nada contra a 'escrita brasileira' mas não é a nossa. Há tantas diferenças. E não penso que seja uma questão de hábito. Quanto aos livros lamento imenso as más traduções, revisões, o que seja.. porque acaba por arruinar a história que tanta vontade tínhamos de ler. Mas enfim, sei que já passou uns dias desde esta 'discussão saudável' mas estive a ler e não resisti em deixar a minha humilde opinião. E dizer que fiquei agora a conhecer o blog e gostei muito. Irei andar por aqui =) Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vanda! Nem imagina o importante que é para mim que as pessoas passem por aqui e deixem o seu comentário, nem que seja no post mais antigo de todos! Este assunto não foi o "assunto do dia", tem muito pano para mangas para debatermos! ;)

      Concordo com tudo o que disse, isto de arruinar um livro e ainda difamarem a língua Portuguesa por darem mais importância ao negócio do que à qualidade e honra não tem jeito nenhum!

      Espero que se mantenha por aqui e comente sempre que achar bem ;)

      Eliminar
  9. Ois

    O novo acordo outográfico até nem me faz muita confusão, seja como for penso que fazes muito bem em manifestar o teu desagrado, é muito mau e outras situações há que são complicadas, como deixarem de publicar uma saga entre outras situações :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O AO já me fez mais confusão do que faz agora porque tento ignorar e quando encontro alguma palavra sem os c´s ou p´s eu na minha cabeça meto-os à mesma, mas por exemplo ainda hoje estava a ler uma palavra sem o tal "p" e fez-me confusão pois não a estava a perceber no contexto, depois lá percebi o que estava errado e meti o "p" no sítio certo e já fez todo o sentido.

      Mas é como disseste, uma das piores porcarias que as editoras fazem é mesmo começarem a traduzir (mal ou bem) um escritor ou uma saga e deixar a meio! Tipo... Qual é o objectivo?

      Eliminar
  10. Olha aqui estão umas palavras bem verdadeiras. Não acrescentava nada. Hoje em dia vê-se cada vez mais a falta de respeito das editoras para com os leitores portugueses, deixam os livros publicados a meio e não estão nem aí para as traduções. Ou isso, ou o objetivo é traduzir de forma a que a mesma tradução sirva para PT de PT e PT do BR. Não vejo outra explicação.

    Isto deixa-me mesmo muito triste. Tal como tu junto o meu dinheiro, desde que era miúda, para comprar os meus livros. Com eles aprendi tudo: a ler, a escrever, aprendi as palavras e a pontuar, aprendi de tudo. Sinto-me completamente lesada se pago (e muito) por um livro que depois só contém erros.

    Eu já desisti, sabes? Infelizmente. Agora procuro ler tudo em inglês. Mais barato e mais fácil de comprar quando estás no estrangeiro. Mas não é a mesma coisa, não é. Mas não dou nem mais um tostão para alimentar esse mau serviço :(

    maryredhair.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito triste quando tem de ser assim como tu Mary, em que as pessoas simplesmente desistem de ler as coisas na sua língua mãe por causa do maior interesse ao negócio que ao orgulho e honra... :(

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★


✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑